• Amanda Ourofino

Torta Banoffee | Receita

Mini torta Banoffee em formato de coração que fiz para comemorar 8 anos de relacionamento com meu marido.



Quando postei as fotos da minha torta Banoffee no último natal choveu de gente querendo a receita. Por isso hoje trago a receita que já uso há mais de ano e que sempre dá certo.

A torta Banoffee é uma sobremesa inglesa (sim, isso também me surpreendeu!) e o seu nome vem da junção das palavras "banana" e "toffee".


O crédito pela invenção da torta é reivindicado por Nigel Mackenzie e Ian Dowding, o proprietário e chef, respectivamente, do Restaurante The Hungry Monk em Jevington, East Sussex, Inglaterra. Eles afirmam ter desenvolvido a sobremesa em 1971, alterando uma receita americana não muito confiável de "Blum's Coffee Toffee Pie" com um caramelo macio feito fervendo uma lata fechada de leite condensado por várias horas, ou seja, o nosso bom e velho doce de leite. Depois de tentar várias mudanças, incluindo a adição de maçã ou tangerina, Mackenzie sugeriu banana e Dowding disse mais tarde que "imediatamente sabíamos que tínhamos acertado". Mackenzie sugeriu o nome "Banoffi Pie", e o prato se tornou tão popular entre seus clientes que eles não conseguiram retirá-lo do menu.


A receita foi publicada em The Deeper Secrets of the Hungry Monk em 1974 e reimpressa no livro de receitas de 1997, In Heaven with The Hungry Monk. Era a comida favorita de Margaret Thatcher (para cozinhar).


A receita foi adotada por muitos outros restaurantes em todo o mundo. Em 1984, vários supermercados começaram a vendê-lo como uma torta americana, levando Nigel Mackenzie a oferecer um prêmio de £ 10.000 a qualquer um que pudesse encontrar referências à sobremesa com datas anteriores a 1971.


A palavra "Banoffee" entrou na língua inglesa e passou a ser usada para descrever qualquer alimento ou produto com gosto ou cheiro de banana e toffee. Uma receita para a torta, usando uma base de migalha de biscoito, é frequentemente impressa em latas de leite condensado da Nestlé, embora essa receita exija que o conteúdo da lata seja fervido com manteiga e açúcar adicionais em vez de ferver a lata fechada - presumivelmente por razões de segurança.


Eu gosto de usar uma receita da Mary Berry, uma espécie de Palmirinha britânica, muitíssimo famosa por aqui e que talvez você já tenha visto no programa The Great British Bake Off, porque ela sempre deu certo comigo.


Se você quiser acessar a receita original em inglês, clique aqui.



NOTAS:

Aqui no Reino Unido temos um biscoito chamado digestive biscuits e a receita que eu faço pede eles para fazermos a base da torta. Ele é um biscoito semidoce originário da Escócia. O digestive foi desenvolvido pela primeira vez em 1839 por dois médicos escoceses para ajudar na digestão. O termo "digestivo" é derivado da crença de que eles tinham propriedades antiácidas devido ao uso de bicarbonato de sódio quando foram desenvolvidos. Historicamente, alguns produtores usavam extrato de malte diastático para "digerir" parte do amido que existia na farinha antes de assar.


Fabricado pela primeira vez em 1892, o digestivo McVitie é o biscoito mais vendido no Reino Unido. Em 2009, o digestivo foi classificado como o quarto biscoito mais popular para "mergulhar" no chá entre o público britânico, com o digestive de chocolate chegando em número um. O consumo desses biscoitos no Reino Unido é recorde: com 6 milhões consumidos a cada dia, o que representa 70 a cada segundo.


Acho que dá para adaptar a receita com biscoitos brasileiros, como o biscoito Maria e o biscoito de maisena. Eu só adicionaria um pouco de sal, pois o biscoito digestivo aqui do Reino Unido é salgadinho (bem pouco doce).


Se você quiser fazer os seus próprios digestives, pode seguir essa receita aqui (em inglês).

A receita original pede o double cream para fazer o chantilly que cobre a torta. Aqui no Reino Unido (assim como nos Estados Unidos) existem vários tipos de cremes de leite frescos, com diferentes percentuais de gordura. Por isso, ao traduzir, eu coloquei o percentual de gordura que normalmente temos em um double cream que eu encontro aqui no supermercado. Recomendo usar a batedeira para bater o creme de leite fresco, principalmente para ser mais rápido, mas cuidado para não bater demais. Já fiz na mão também mas cansa muito hahaha.


Você sempre pode substituir o toffee da receita por doce de leite (já pronto ou não). Mas eu gosto muito de fazer esse toffee porque tem um gostinho diferente e acho que combina demais com a banana e o chantilly.


Recomendo fazer com uma forma de 20, 24 ou 26cm de fundo removível, como essa aqui. Você também pode usar pequenas formas para fazer porções individuais, mas recomendo sempre usar as de fundo removível.


Ah! Eu sempre uso manteiga com sal porque gosto do "salzinho" que adiciona aos doces. Mas você pode usar manteiga sem sal se preferir.





INGREDIENTES:


Para a base da torta:

  • 150g de biscoitos maria ou algum outro parecido

  • 75g de manteiga

Para o recheio de toffee:

  • 75g de manteiga

  • 75g de açúcar mascavo

  • 1 lata de 397g de leite condensado (a versão normal e não a versão light)

  • 1 colher de chá de extrato de baunilha

Para cobrir a torta:

  • 300ml de creme de leite fresco (com 35-36% de gordura)

  • 3 bananas maduras e pequenas (ou o suficiente para cobrir o tamanho da sua torta)

  • 50g de chocolate amargo, derretido ou em pó


MODO DE PREPARO:


  1. Forre a base da sua forma fundo removível com papel manteiga.

  2. Para fazer a base, esmague os biscoitos até ficarem migalhas e derreta a manteiga em fogo baixo. Despeje em uma tigela e misture bem o biscoito e a manteiga derretida. Despeje na base da forma e pressione com as costas de uma colher até nivelar. Leve à geladeira por 15 minutos.

  3. Para fazer o recheio, aqueça a manteiga e o açúcar em uma pequena panela antiaderente e leve ao fogo baixo até incorporar. Adicione o leite condensado e leve à fervura, mexendo por 2–3 minutos - não ferva demais ou ele ficará granulado e com aspecto grosso. Adicione a baunilha e despeje na forma. Leve à geladeira por pelo menos 1 hora.

  4. Bata o creme de leite fresco em uma tigela até formar picos macios.

  5. Arrume as rodelas de banana em rodelas bem organizadas por cima do caramelo. Passe o creme por cima e espalhe por cima. Deixe na geladeira por uma hora.

  6. Retire a torta da forma e jogue o chocolate derretido em ziguezague por cima ou polvilhe com cacau em pó.




Essa foi a torta que fiz para o Natal de 2020.

Gosto sempre de inventar uma decoração diferente.



Essa eu fiz para comemorar 2 anos de casamento, em 2020.



Se você fizer a receita não deixe de me contar se gostou.


E se você curtir desse tipo de post, deixa o seu comentário.

Aceito sugestões para novas receitas, inclusive. 😉


Espero que tenham gostado!

Não esqueça: respira, não pira e crocheta! (ou cozinha hahaha)

Beijos,








Fontes de pesquisa:

  1. Banoffee Pie

  2. Digestive Biscuit

  3. Diferença entre cremes de leite

60 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
  • Facebook
  • Pinterest
  • Instagram

Nascida em Brasília - DF.

Atualmente, moro em Londres.